quinta-feira, 21 de março de 2013

A Marcha da Colonização da América Portuguesa


  • Até o final do século XVI a população luso-brasileira vivia no litoral. Na época, a locomoção pelo interior era difícil e os indígenas ofereciam dura resistência à ocupação de suas terras (observe o mapa abaixo).


  • Aos poucos a colonização avançou, devido a ação dos soldados, jesuítas e dos criadores de gado.
  • No início da colonização, o litoral brasileiro era frequentemente atacado por piratas franceses, ingleses e holandeses, que na maioria das vezes aliavam-se aos indígenas como no caso dos franceses.
  • Para combater a pirataria, o governo real enviou para o Brasil muitos soldados.
  • Esses soldados ergueram fortes e povoados que deram origem a várias capitais brasileiras. 

OS BANDEIRANTES

  • No início da colonização, o governo português preocupou-se em organizar dois tipos de expedições:
  • ENTRADAS: expedições que partiam de diversos portos brasileiros e entravam pelo sertão a procura de ouro e pedras preciosas, Tiveram pouco sucesso militar.
  • BANDEIRAS: expedições que com organização e disciplina militar que partiram de São Paulo com o objetivo de capturar índios e achar ouro e pedras preciosas.
  • Considera-se três tipos de bandeirismo: Caça ao Índio, Busca de Ouro de Diamantes e Sertanismo de Contrato.


     -Bandeirismos de Caça ao Índio

  • Desde o início da colonização, os paulistas prenderam e escravizaram indígenas.
  • Para conseguir muitos índios de só uma vez, atacavam as missões, deixando um rastro de morte e destruição.
  • As principais bandeiras de caça ao índio, chefiadas por Antônio Raposo Tavavares, destruíram, em apenas dez anos (1628-1638), as missões de Guairá (Paraná), Itatim (Mato Grosso do Sul) e Tape (Rio Grande do Sul).
  • Milhares de índios foram aprisionados e o gado se dispersou.
  
- Bandeirismo de Busca de Ouro e Diamantes

  • No século XVII, uma crise econômica levou o rei de Portugal a escrever aos bandeirantes para que procurassem ouro e pedras preciosas no sertão.
  • Em 1674, Fernão Dias Pais partiu de São Paulo em direção ao sertão mineiro, onde pensou ter encontrado esmeraldas, mas na verdade eram turmalinas, sem nenhum valor na época.
  • A trilha aberta por Fernão Dias serviu para que outras bandeiras, descobrissem ouro no interior do Brasil, merecendo destaque as seguintes bandeiras:
    1. Antônio Rodriges Arzão (Sabará), Minas, 1693.
    2. Pascoal Moreira Cabral (Cuiabá), Mato Grosso, 1719.
    3. Bortolomeu Bueno da Silva (Vila Boa), Goiás, 1725.

-Bandeirismo de Contrato

  • Nos séculos XVII, os bandeirantes também foram contratados por fazendeiros e autoridades para combater índios ou escravos foragidos.
  • Esse tipo de “negócio” entre bandeirantes e os poderosos era chamado de sertanismo de contrato.
  • Uma conhecida bandeira de sertanismo de contrato foia que destruiu o Quilombo dos Palmares, em 1694.

OS JESUÍTAS

  • Eles ergueram grande número de missões no interior do Brasil, a maioria delas localizadas na Amazônia e no Sul.
  • Nessas missões, os índios eram alfabetizados, iniciados no catolicismo e aprendiam a trabalhar.
  • Muitos jesuítas combateram a escravidão indígena.
  • Em 1680, o padre Antônio Vieira, conseguiu que o rei de Portugal aprovasse uma lei proibindo a escravização indígena.
  • Essa lei provocou irritação dos colonos em várias partes do Brasil, especialmente no Estado do Grão-Pará e Maranhão dando origem a Revolta de Beckman.
  • Tudo começou quando o governo de Portugal criou a Cia. De Comércio do Maranhão, que se comprometia em vender escravos, ferramentas e roupas.
  • Porém, a Cia. Não cumpriu o prometido, além de não trazer os escravos, falsificava pesos e medidas.
  • Liderados por Manoel Beckman, os colonos invadiram os armazéns da Cia. De Comércio do Maranhão e o colégio dos jesuítas dando origem á revolta.
  • O governo português enviou tropas para o Maranhão, que reprimiram a revolta punindo severamente os envolvidos.
  • Mas ao mesmo tempo, atendeu ás exigências dos colonos:
  • Exigiu a Cia. do Maranhão
  • Voltou a permitir a escravidão indígena.

  • GADO DO NORDESTE: Introduzidos no Nordeste pelo governador-geral Tomé de Souza, o gado era usado para mover a moenda dos engenhos e transportar cana.
  • Por isso era criado nos próprios engenhos.
  • Aos poucos os rebanhos foram penetrando o interior. O gado tinha a vantagem de se locomover sozinho e sobreviver em regiões áridas.
  • GADO DO SUL: Com a destruição das missões pelos jesuítas, milhares de rebanhos de gados e mulas se dispersaram, dando origem a rebanhos selvagens.
  • Com a descoberta das minas, a região sul foi a principal fornecedora de mulas e gado para a região das minas.
  • Os luso-brasileiros foram avançando pelas terras que, de acordo com o Tratado de Tordesilhas pertenciam à Espanha.
  • O governo português buscou legalizar o território conquistado por um meio de uma série de acordos internacionais. Os mais importantes:
  • Tratado de Utrecht (1713): Assinado entre Portugal e França. Estabelecia que o Rio Oiapoque, limitaria a fronteira entre Brasil e Guiana Francesa.
  • Tratado de Madri (1750): Assinado entre Portugal e Espanha. A Colônia de Sacramento pertencia à Espanha e Portugal recebia a área de Sete Povos das Missões, no atua Rio Grande do Sul.
  • Tratado de Santo Ildefonso (1777): Assinado entre Portugal e Espanha. Os espanhóis ficavam com o território de Sete Povos das Missões e da Colônia do Sacramento e Portugal recebia de volta partes do Rio Grande do Sul.
  • Tratado de Badajós (1801): Assinado entre Portugal e Espanha. Os portugueses ficavam com o território de Sete Povos e a Espanha com a Colônia de Sacramento. 

10 comentários:

  1. isso e verdade eu usei pra fazer uma apresentacao pra escola e meus amigos tambem fizeram

    ResponderExcluir
  2. ja e o segundo trabalho que fasso usando esse mesmo conteudo usausahuahauh

    ResponderExcluir
  3. Akii tem falando sobre td da matéria história

    ResponderExcluir
  4. muito obrigada me ajudou muito com meu slide muito obrigada msm

    ResponderExcluir